“Tolice é viver a vida assim, sem aventura”

4

Laura Ozaki, 59 anos de pura simpatia e sabedoria, a hippie popularmente conhecida como ‘Colega’, vende artesanato ali na Avenida Capitão Índio Bandeira, em Campo Mourão. Exerce essa atividade há 35 anos e sua vida tem sido uma jornada de aventuras. Sempre apaixonada por mudanças e viagens, ‘Colega’ percorreu o Brasil inteiro e países como Suíça, Espanha e França. Agora, tem o sonho de conhecer o Egito.

Laura morou durante dois anos em Paris. Quando voltou para o Brasil, sua filha foi morar no Japão, deixando-a sozinha em um apartamento em Santa Catarina. Nesse ano dois fatos marcaram a sua vida: primeiro, uma depressão e, depois, a amizade com alguns hippies, com os quais aprendeu suas técnicas artesanais.

Nesse mesmo ano, Laura foi convidada para viajar junto deles, mas hesitou em aceitar a proposta. Percebendo a mediocridade a que sua vida havia chegado, decidiu viajar e gostou tanto que resolveu virar hippie também. Foi então que começou a viver a vida intensamente, sem tão somente esperar a morte chegar.
Ela conta que, para se tornar hippie, foi necessário o desapego dos bens materiais e fala tranquilamente: “Porque no final ninguém leva nada, é apenas você e a morte” e canta: “Tolice é viver a vida, assim, sem aventura…” Lembrando Lulu Santos em “O último romântico”
Segundo ela, sua família nunca foi totalmente a favor da sua opção de vida, e sofreu muito com as críticas, mas agora a situação está bem mais aceitável.
Com olhos críticos, que não negam a ascendência japonesa, ela observa a sociedade e reclama da educação, dos hospitais públicos e do governo brasileiro. “Aos ricos, as laranjas. Aos pobres, o bagaço”. Para exemplificar o seu pensamento, cita a música ‘Que País é Esse?’, da Legião Urbana.
Laura conta que “diariamente observo as pessoas trabalhando, vivendo escravas de um capitalismo egoísta, em que as correntes da escravidão ainda não foram soltas, pois, inconscientemente, as pessoas vivem para conseguir dinheiro e, depois, o gastam para conseguir ter novamente as suas vidas”.
Amante da liberdade, ela defende que “boa vida é não ter dependência de um lugar fixo, podendo ir embora a qualquer momento”, e valoriza o saber viver sem lamentações, “o viver ‘zen’”. Laura gosta de ler, conhecer e estudar as culturas em suas viagens e de estar em contato com a natureza e em harmonia com o universo. Quanto à música, é eclética, mas prefere o erudito e o rap.
Ela conta que seu aniversário de 50 anos foi marcante, principalmente porque foi nesse dia que fez a sua primeira tatuagem. “Tatuagem é milenar e não deve haver preconceitos quanto a ela”. A escolha por morar em Campo Mourão não foi difícil, pois adora o calor e a simpatia mourãoense. Por fim aconselha: “Não espere a morte chegar. Liberte-se, viva intensamente”.

Fotografias: Desirée Pechefist


Sobre o Autor

Desirée Pechefist
Desirée Pechefist

Desirée Pechefist, não carrega tanta idade quanto sonhos. Blogueira e futura jornalista. Cara de menininha, mas quer saber mesmo é de fotografar, escrever, escutar música, ler e viajar.

4 Comentários


  1.  

    “Tolice é viver a vida assim, sem aventura”




  2.  

    Amiga tivemos uma noticia que nossa Colega faleu. Somos de Castro parana e estamos de maos atadas sem saber bem ao certo. Pesso encarecidamente que se tiver alguma noticia dela se puder nos informar. Grata desde já.




  3.  

    No celular dela ninguém atende..




  4.  
    Christopher Bahls

    Gente, tomara que nada tenha acontecido com ela :/





Deixe uma Resposta


(obrigatório)


Nunca mais perca uma postagem. Informe o tipo de conteúdo que você deseja receber e ganhe um cupom de desconto para uma compra na metropolestore.com.

Fica tranquilo, não enviamos spam.