O maiô de duas peças

0

Idealizem um traje composto por sarja ou lã, que cobre o tronco e vai até os joelhos. Para completar, são usados sapatos de lona com meias, uma touca de tecido e por cima disso tudo ainda vem uma capa para maior proteção. E sabem onde as pessoas usavam esse traje, impossível de se imaginar molhado? Para se banhar no mar. Agora, vocês conseguem acreditar que isto era a primeira idéia de roupa de banho no século XIX? Antes disto, banhar-se no mar era simplesmente um hábito terapêutico e não de lazer.

Só na década de 20, quando os banhos de sol entraram em voga, e a pele precisava ficar mais à mostra, surgiram os primeiros trajes de banho que conhecemos hoje. Mas, foi em 1946, que um escândalo acontecia na história da indumentária: a criação, feita pelo francês Louis Réard, do maiô de duas peças, batizado de Biquíni, inspirado na explosão atômica experimental, no Atol de Bikini, no Pacífico Sul. O novo traje foi tão rejeitado que nenhuma modelo aceitou ser fotografada com tal peça. Para promover a nova moda praia, somente conseguiram divulgar o produto contando com o apoio de uma stripper, que aceitou posar usando os 70 cm de tecido. (Figura 1)

O biquíni só começou a ser aceito entre as mulheres depois de aparições de atrizes de Hollywood usando o modelo. A imagem de Úrsula Andress é um marco na história, quando ela aparece usando um modelo de tirar o fôlego em “007 Contra O Satânico Dr. No”, em 1962. (Figura 2)

Eu fico imaginando a cara de Jânio Quadros, morrendo de desgosto de saber que os modelinhos tanga, cortininha, asa-delta e o ousado fio-dental foram desenvolvidos por mentes brasileiras. Uma vez que, em 1961, ele decretou a lei proibindo o uso do biquíni nas praias cariocas e em concursos de miss.

O biquíni brasileiro é o melhor do mundo. Com criatividade e ousadia, ele fez e continua fazendo o maior sucesso por onde é visto, tanto na modelagem quanto nas inovações na indústria têxtil. E agora pertence à nossa cultura, assim como Carmem Miranda e Pelé. Já dizia o empresário francês Alexandre Younes, “o beachwear brasileiro é uma verdadeira ‘Bíblia’ para o mundo”.

O biquíni já foi inserido no nosso look diário, já que diversos desfiles apresentam contrapontos entre praia e cidade. Para o verão 2012, os modelos de biquínis estão bem diversificados, com bojos estruturados e arredondados, assimétricos, tomara-que-caia, com detalhes em metais, bordados e, claro, a indispensável cortininha. As calcinhas aparecem tanto pequenas, quanto mais amplas. As alças são criativas, em destaque estão as trançadas, coloridas, enroladas e de um ombro só. Detalhes nas costas, também estão presentes na coleção de muitas marcas. As texturas ficam por conta dos franzidos (ótimos para disfarçar imperfeições), crochês, babados, resinados, superfícies acetinadas, vazados e misturas de materiais. Na estamparia aparecem em foco os tons de terra e azul, em desenhos abstratos, animal print e xadrezes. Listrados e florais já não são mais “tendência”, pois se tornaram tradicionais nesse segmento. (Figuras 3 e 4)

Conhecendo bem o seu próprio corpo, não tem como errar. Então, se prepare para ficar linda no verão e fazer Jânio Quadros ficar furioso onde quer que ele esteja.


Sobre o Autor

Joseane Larissa
Joseane Larissa

Bacharel em Moda - UEM. Produtora e Designer de Moda.

0 Comentários



Seja o primeiro a comentar!


Deixe uma Resposta


(obrigatório)


Nunca mais perca uma postagem. Informe o tipo de conteúdo que você deseja receber e ganhe um cupom de desconto para uma compra na metropolestore.com.

Fica tranquilo, não enviamos spam.