Aventura Ecológica no Parque Lago Azul

1

Parque-do-Lago-AzulAqui pertinho, pouco mais de dez quilômetros distante do centro de Campo Mourão, o Parque Lago Azul oferece aventura e lindas paisagens. Metrópole foi conferir e traz para você um pouco do que desfrutar neste verão, aqui mesmo pela região.

Que tal passar por trilhas íngremes, cruzar um rio desviando de pedras lisas como sabão, passar por cima da tubulação de uma hidrelétrica, avistar as ruínas de outra, admirar a beleza de uma floresta nativa e, no fim de tudo isso, ainda poder admirar uma bela cachoeira?
Isso tudo e um pouco mais é o que os visitantes podem encontrar no Parque Estadual Lago Azul, nos limites de Campo Mourão e Luiziana, do lado oposto às chácaras do lago da Usina Mourão. O local oferece, além da sede com informações variadas sobre a unidade, duas opções de trilhas e muita aventura. Para pessoas menos aventureiras, há ainda área aberta para passeios e Parque-do-Lago-Azulpiqueniques, mais a garantia de passar um tempo proveitoso.

O lugar
Criado em 1997, o parque é uma unidade de conservação de proteção integral de uso indireto, de acordo com o geógrafo Rubens Lei Pereira de Souza, gerente do parque. Isso significa que é uma unidade de preservação, mas em que é permitida visitação e exploração de parte dos recursos, desde que de maneira sustentável.  Tudo muito sério e de acordo com o que regulamentam os órgãos de proteção ambiental
São 1.749 hectares de área preservada, com muita vegetação nativa e até um exemplar de pau d’água, a árvore que retém água da chuva, boa para o consumo. Há também uma árvore de idade aproximada de 400 anos, logo no começo da Trilha Aventura. O exemplar da espécie Gurucaia, gigantesco, sobreviveu ao desmatamento da área durante a instalação da antiga hidrelétrica e é um dos símbolos do Parque, junto com o Lago Azul.
A gestão da unidade de conservação é feita pelo Governo do Paraná, por meio do Instituto Ambiental do Paraná (IAP)
Por que visitar?
Segundo Rubens, o Parque possui diversos atrativos ambientais. O destaque, claro, fica para as caminhadas ecológicas realizadas nasParque-Lago-Azul trilhas, “interpretativas da natureza”, que proporcionam contato abundante com a natureza, além da contemplação da floresta. “A Trilha Peroba, com um caráter mais didático, é recomendada para fins de realização de aulas práticas sobre a dinâmica dos solos e a biodiversidade local, mostrando de forma clara a existência no local de espécies típicas dos biomas ocorrendo lado a lado, caso do Pinheiro-do-Paraná e a Peroba-Rosa”, explica. Essa trilha, ressalta, pode ser feita por crianças, tem um trajeto regular. Já a Trilha Aventura…
Como o próprio nome já diz, o caminho é repleto de aventuras. Pra quem não gosta muito de água, não é uma boa pedida, mas as roupas molhadas compensam a vista do salto São João, perto do fim da caminhada. O gerente do parque alerta: “a trilha Parque-do-Lago-Azulpossui nível de dificuldade, com muitos obstáculos naturais, elevações e depressões”. Em alguns momentos, o caminho é pela margem do rio, em outros por dentro do leito mesmo, em contato direto com o Salto São João e também com o salto Belo, cachoeira de menor altura, mas muito bonita.
Pelas dificuldades naturais, a trilha mais famosa, que passa pelas cachoeiras, é feita somente com guias, que além de indicar os caminhos mais seguros, protegem contra ameaças naturais, como cobras, aranhas e lagartas. “Se tiver algum animal que possa por em risco a segurança, a gente vai à frente e afasta o risco”, conta o guia Helisson Erconides.
Justamente pelo risco, não só de animais peçonhentos, somente maiores de 13 anos podem percorrer os quase 3 mil metros da trilha. “A gente brinca que, de cada dez, onze pessoas caem na água”, se diverte Hélisson, que comanda as passagens por dentro do rio e indica os lugares ideais por onde passar e também onde o acesso é proibido, pelo risco. E emenda: “como a passagem por dentro da água é inusitada, normalmente uma Parque-do-Lago-Azulpessoa por grupo acaba caindo, mas sem risco. Em todo grupo, sempre tem alguém que cai”, completa.

Quando ir?
O Parque Estadual Lago Azul é aberto à visitação pública de terça a sexta-feira das Parque-do-Lago-Azul8h30 às 17 horas. Nestes dias, alerta a administração do Parque, é recomendada a visitação dirigida para visitas organizadas (grupos diversos), sempre com agendamento prévio. Nos finais de semana e feriados o funcionamento é das 14h às 17h. “Procuramos não agendar grupos organizados nestes dias em função da demanda maior de visitantes (turistas e outros) nestas datas”, esclarece Rubens.
Ele destaca que a visitação pública é bastante variada, com pessoas vindas de diversas regiões do estado, com maior concentração de pessoas dos municípios vizinhos. Muitas escolas agendam visitas durante a semana, mas os mourãoenses também fazem parte do rol de visitantes. Hoje, ele conta, há pessoas que fazem as trilhas toda semana, para praticar atividade física. E não pense que é brincadeira, não, percorrer os caminhos.
Mesmo na Trilha Peroba, a mais curta, é preciso ter preparo físico. A média de tempo do percurso é de 1h30, grande parte dele em mata fechada. No meio do caminho, o lago de água transparente e cor azulada, esse mesmo que dá nome ao parque, convida para uma parada. As áreas próximas à sede, no final dessa trilha, são ideais para piqueniques e brincadeiras. Na Trilha Aventura o tempo médio de percurso é de 2h30, grandes subidas e descidas e água batendo na altura do peito em alguns pontos. Vale o esforço!

Fotografia: Fernando Nunes


Sobre o Autor

Gracieli Polak
Gracieli Polak

Gracieli Polak é jornalista e blogueira, especialista em escrever sobre quase todo assunto – especialmente os que lhe agradam.


Fatal error: Uncaught Exception: 12: REST API is deprecated for versions v2.1 and higher (12) thrown in /home/metropolerevista/metropolerevista.com.br/html/wp-content/plugins/seo-facebook-comments/facebook/base_facebook.php on line 1273