Luz, câmera, aloha!

Ele decidiu ser jornalista por ter se frustrado no esporte. O jornalismo está cheio de atletas frustrados.“Não virei atleta, mas posso continuar no esporte, como repórter”, pensou. Na época de faculdade era apaixonado por esporte e tentava construir uma carreira que o levasse à realização do sonho. Além disso, estava em busca de uma oportunidade de ir para os Estados Unidos cursar algo na área de comunicação.

Surpreendentemente, o jornalista mourãoense Paulo André Zarpellon foi parar em Kailua Kona, Havaí (Hawaii,em inglês, Hawai’i em havaiano). Foi uma surpresa, pois havia diversas opções de lugares, mas o escolhido foi um pedaço de terra vulcânica no meio do Oceano Pacífico.

Por meio da Jocum (Jovens Com Uma Missão), ele foi para a Universidade das Nações em 2012 e fez um treinamento chamado “Voice for the Voiceless”, que significa “Voz a quem não tem voz”. Trata-se de comunicação voltada à justiça social. Naquele mesmo ano, o jornalista iria se aventurar no Panamá e Hawai’i, como parte prática e conclusiva do curso. A experiência durou seis meses. “Foi a melhor temporada da minha vida, mas apenas o pontapé inicial para um novo projeto”, conta Zarpellon.

De volta ao Brasil, passou bons momentos com amigos e família, mas afirma que ao deitar a cabeça no travesseiro, noite após noite, as ondas pareciam quebrar sobre ela, trazendo à memória tudo o que havia passado nos meses anteriores. Na noite de 31 de dezembro de 2012, sozinho à beira da água, na Usina Mourão, o jornalista decidiu que em 2013 voltaria ao Hawai’i.

De volta à “Big Island”, aos 23 anos, Paulo André Zarpellon está trabalhando como jornalista voluntário em um movimento chamado Grassroots News International. O projeto está no começo e é incubado pelo The Film Institute, um grupo de produção midiática independente e sem fins lucrativos. Os voluntários desse grupo, obrigatoriamente, fizeram algum treinamento na Universidade das Nações.

O jornalista passou a acreditar no Grassroots News e decidiu vestir a “camisa” do movimento, quando percebeu a força que a comunicação tem para mudar o cenário social. Como já dito, ele teve uma experiência no Panamá, que possibilitou a criação de um documentário chamado “Dear Panamá”. Trata-se de um filme de 16 minutos mostrando a necessidade de repensar a legislação, em favor dos órfãos daquele país. Pouco tempo após o lançamento, o trabalho foi premiado em um festival panamenho de cinema independente, mas isso ainda não chega perto. Junto a isso, um grupo de cineastas locais está produzindo um longa metragem com base no tema do documentário. Por fim, e mais importante que qualquer prêmio, as autoridades do poder legislativo do Panamá viram o filme e colocaram em pauta algumas positivas nas leis de adoção.

A iniciativa tem o nome de “Grassroots”, que literalmente se traduz para “raiz de grama”, pois visa estar em todo lugar do mundo, uma vez que a Jocum/Universidade das Nações está em todos os países do mundo. “Obviamente, esse é um projeto a longo prazo, mas o
começo mostrou ótimos sinais para um futuro de sucesso”, afirma Zarpellon.

Quando questionado sobre as belezas naturais e oportunidades do lugar, o jornalista responde: “Não sei surfar, nunca tentei. Raramente passo algum tempo na praia e nunca me senti ameaçado pela Coreia do Norte”, comenta brincando, em relação às ameaças norte-coreanas de ataque às ilhas do Pacífico.

Paulo André ficou surpreso ao descobrir o potencial agrícola que existe no lugar. Ele relata que o café havaiano é um dos mais especiais do mundo. Além de café, o clima e a terra vulcânica favorecem a cultura do cacau. A riqueza do solo é tanta, que no processo de fabricação do chocolate, não é necessário qualquer alteração química no grão de cacau.

 

 

 

Fotografia: Paulo A. Zarpellon


Sobre o Autor

Metrópole Revista
Metrópole Revista

Revista de variedades.


Fatal error: Uncaught Exception: 12: REST API is deprecated for versions v2.1 and higher (12) thrown in /home/metropolerevista/metropolerevista.com.br/html/wp-content/plugins/seo-facebook-comments/facebook/base_facebook.php on line 1273