As paixões de Ilivaldo Duarte

1

As paixões de Ilivaldo DuarteRadialista e jornalista, Ilivaldo Duarte é um apaixonado pela vida. Ele nos conta um pouco de sua história e de sua rotina nas suas várias atividades.

Seja como assessor de imprensa da Coamo – Cooperativa Agroindustrial – ou como jornalista e apresentador do Programa de rádio “Tocando de Primeira”, Ilivaldo Duarte é uma figura conhecida em Campo Mourão e região. Além disso, ele é fundador da cadeira 28 da Academia Mourãoense de Letras, fundador do APA – Amigos Palmeirenses da Arcam – e dono de uma coleção com mais de 260 camisas de futebol. Mas, o que realmente move as várias atividades de Ilivaldo é a paixão dele por tudo aquilo que faz e realiza.

“O fanatismo faz você fechar os olhos e ter uma direção só. Então, muitas vezes, as pessoas podem imaginar que eu sou fanático, mas não. Eu digo que sou um apaixonado”, destaca Ilivaldo. E suas paixões são muitas, desde seu time de coração, o Palmeiras, até o lugar onde vive. “Eu costumo dizer que Campo Mourão é a capital do Centro-Oeste do Paraná e toco o hino da cidade no início do meu Programa de Rádio, porque eu acredito que precisamos valorizar a nossa gente e a nossa terra”.

Assim, aos sábados, das 11h às 13h, Ilivaldo homenageia pessoas, comemora aniversários e conta histórias, contribuindo para a construção da memória de Campo Mourão e região. “O programa tem a missão de também falar de esporte, mas fala de outros temas como cultura, cidadania e religiosidade. Eu quero valorizar a nossa gente e é o que eu posso fazer com meu talento e apoio dos amigos: mostrar a nossa gente, gente que faz, que acontece”, explica.

É grande o sucesso do programa e Ilivaldo já teve a oportunidade de comemorar a apresentação do milésimo programa “Tocando de Primeira”, em novembro de 2012. “Eu sempre tive essa mania de guardar datas e números, porque eu acredito que é uma forma de marcar e deixar registrados os acontecimentos. Eu numero cada edição porque cada programa, assim como cada dia da gente, é único”. Assim, o milésimo programa também realizou uma ação social.

“Eu pensei sobre o que eu poderia fazer para a comunidade e tive o start: 1.000 programas, 1.000 litros de leite. Arrecadamos 2.350 litros e várias entidades receberam as doações. Foi muito gratificante e emocionante ver os amigos em uma atitude solidária”, relembra. Através do APA, que faz questão de dizer que é um grupo de amigos e não uma associação, ele também tem a oportunidade de prestar serviço voluntário e social. “Ajudei a fundar o grupo em dezembro de 1993 e resolvemos fazer uma ação beneficente por ano. Então, com a venda de camisas para os próprios membros do APA, compramos alimentos ou produtos de limpeza para entidades de Campo Mourão e região”, conta.

Talvez o segredo de Ilivaldo, seja o fato de suas paixões estarem todas ligadas. Sua atividade religiosa o colocou em contato com o microfone e isto o levou para o rádio em 1984, para substituir o apresentador Paulo Roberto Silva, do programa “Uma luz no infinito”, mas foi pelo esporte que ele se consagrou como radialista a partir de 1987. Sua paixão pelo Palmeiras foi a motivação para ajudar a fundar o APA e os inúmeros amigos o tornam uma pessoa feliz e, com uma grande coleção de camisas de futebol. “Eu não preciso comprar muitas camisas, ganho de presente e também vou pedindo para os amigos”, conta Ilivaldo. Ele deixa claro que apenas um item não entra em sua coleção. “Por motivos óbvios, a camisa do time  do Parque São Jorge [Corinthians] não faz parte da coleção com mais de 260 camisas do Brasil e do exterior”, diz.

Ilivaldo não imagina quando vai se aposentar. “Minha esposa às vezes me pergunta por que eu não paro um pouco. Mas eu devo ser um pouco hiperativo”. Ilivaldo anda pelas ruas com sua máquina fotográfica e encontra pessoas com histórias interessantes. Além disso, vai completar 30 anos de Coamo neste ano e leva tudo na sua vida com paixão e muita tenacidade. Vive como a filosofia dos três Bês, criada por ele próprio: “Praticar o ‘B’ do Bem; praticar e ser o ‘B’ do Bom e Contemplar o ‘B’ do Belo”.  Suas frases como “Bom mesmo é ser feliz”, “Quem tem amigo não morre pelado” e “Só não ouve Ilivaldo Duarte quem não tem rádio e não tem vizinho”, tornam-no alguém singular com muita história para contar e ser contada.

Fotos: Fernando Nunes


Sobre o Autor

Liandra Cordeiro
Liandra Cordeiro


Um Comentário


  1.  

    Parabéns Ilivaldo!, com esta sua paixão por tudo que faz e faz bem feito, você é um grande exemplo a ser seguido.





Deixe uma Resposta


(obrigatório)


Nunca mais perca uma postagem. Informe o tipo de conteúdo que você deseja receber e ganhe um cupom de desconto para uma compra na metropolestore.com.

Fica tranquilo, não enviamos spam.