Fé cega – Faca Amolada

0

A religião é o broncoscópio do povo – Coisa de enfiar goela abaixo” (V. Zanca)

Como diz o velho deitado: Política, futebol e religião não se discute – se negocia e é, na surdina!  “Levanta Maria Bonita, levanta vai fazer o café, que o dia já vem raiando e a policia já está de pé…” E eu também, desde muito cedo, “acordei com a macaca”. A cachorrada que guarda a porta do inferno fez o alarido antes do dia clarear. O tinhoso morfético saiu cedo pra amassar o pão que vamos comer hoje… Eitá mundão véio sem porteira e eu já tô rolando na pirambeira!

“Se você no céu – Se você no céu – Conseguir entrar – Faça um buraquinho – Faça um buraquinho Para eu passar…”  Eu tô cagôta!  Vou  “torar o pau” cutucando onça com vara curta. Vou deitar rolar e me lambuzar sobre um tema “imexível” – Religião! Não vai sobrar pra quem quer, mas já passou da hora. Tem muitos vendilhões  inventando e apregoando novas morais, e pior: “…Tudo que eu gosto é ilegal, é imoral ou engorda!”.

Vou começar baixando a borduna  nessa gente chegada no Taoísmo; se acham o “tal”, só vivem falando “Talê ecoisa – Coisa etalê!”. Enchem a boca pra dizer que são filho do fulano de tal, o maioral que fez diumtudo. Eles são filhos do Pai, os outros são filhos da mãe! Tudo metido a besta – Très Cocô! “Muitos são chamados, mas poucos escolhidos!”. Peraí, peraí – Piraí! ISTOPÊ! – Porta que passa Zé, passa Mané! Enfiam uma Bíblia no sovaco, colocam a roupa  de ver Deus e já ficam crente que merecem primeira classe, ágüinha benta e última ceia completa.

Vou fazendo do mote o meu refrão – Como é grande e bonita a natureza”

Outros que não engulo são os Pãoteístas, se acham o fermento do mundo, os outros  são tudo farinha do mesmo saco, eles não – Vão salvar a natureza, o planeta, a camada dessa Zônia que nos envolve. Caçadores de ignorantes que não sabem comer, não sabem se meio ambientar, não sabem nem caaaagar! Eles vêem deus em qualquer coisa, conversam com as plantinhas, fazem curas com os cristais, dialogam de igual para igual com seus cachorrinhos. A maioria é  Verganbobóticos, comem alfafa e arrotam regulamentos, imposições e regras …. Pelo que eu saiba: Pomba – lesa nunca foi do reino animal! Ficam bebendo chá de cogumelo, de cipó, de picão, e  alucinados se transvertem em generais da banda para comandar a guerra santa contra os tecnossugismundos e a gentalha que só pensa com a barriga. (Gentalha! – Gentalha! – Gentalha!).

Nóis nuntêm muitú dicumê, é só xibé de farinha da mandioca com água, na hora que se apanha uma piabinha, obrigam sortá pra num despauperá a natureza, e cunquí nóis  arcalma as bermes que vérvê nu instrombigo vaziú? Os barrigudinhos  tão tudo zoiúdo de fome! – Ah… Mas é para isso que tem as Bolsas Faz-me rir, o Cartão Cabrestão, PACnós vire gentinha cúcientí, tutti buona genti do primeirimundú!  O Profeta Zeca Pagodinho já avisou:  “Camarão que dorme a onda leva / Hoje é o dia da caça /Amanhã do caçador…”

Mas injuriado ando é com Umbundista que enche meu saco, com aquele sarapatel de capote que junta vidas passadas, recebimento de caboclo e naturismo. O enViado das forças transcendentais quer porque quer me colocar pelado, para fazer um trabalho de toque sensitivo na minha auréola invisível. É invisível e vai continuar sendo, eu é que não vou dar a abertura pra bulinação sacrossexissais. Respeite meus cabelos brancos e as minhas hemorróidas, cabradúcão!

E a turma do Desencapetamento Total? “Com tanta loucura – Eu não agüento mais / Xô satanás! / Xô satanás! / Na casa do senhor Não existe satanás – Xô satanás! – Xô satanTragédia Jim Jonesás!…” Oh gente pra gritar sô!  Parece que eles leram numa carta do São Paulo ao Corinthians que Deus é surdo! Cruz-credo, tão tirando encosto na base da porrada, chute no saco, dedo nos olhos, até aparelho de choque já tão usando.  Outro dia, uma anciã – idosa – velha recebeu uma bifanafuça que engoliu a dentadura, ficou rosnando e assobiando enquanto se debatia, o Missionário da igreja Grita Aleluia e Põe Cem – ão na Sacolinha,  ficou esculachando todo mundo, dizendo que  traduzia as palavras do Carrapeta que tava na mulher. Paga o dízimo e ainda apanha na cara! Cadê o Procão nesta hora? Reclama ai que pagou por um milagre e recebeu um munhecaço nos beiços!

Antes que me acusem de ser um ateu, um herege  pirrônico detrator da fé alheia; antes que me chame de homem bule – depô café, informo: Acredito no INRI Cristo, em São Longuinho e na Nossa Senhora da Mega Sena! Comigo é “Fé cega e faça amolada”.
Fé não é como chifre que se põe na cabeça dos outros. É mais fácil aceitar ser corneado que convertido!

Por mais um dia, agonia, pra suportar e assistir / Pelo rangido dos dentes, pela cidade a zunir E pelo grito demente que nos ajuda a fugir / Deus lhe pague”

Sugestão de Leitura:

Mircea Eliade – O Sagrado e o Profano


Sobre o Autor

Velho Zanca
Velho Zanca

Sapateiro amador - MBA em Meia-sola pela Nail Box Sculeichow of Salta oLeit pCity - Utah bãm. Nasceu em Buiaquinho Coxado. Quando menino e abestado caiu em rio que tem piranha! (PS.: Não sabia nadar de costas). Viveu anos boiando por aí, engolindo muito sapo, de tanto a água bater na bunda, resolveu aprender a ler para ser alguém na vida. Não conseguiu ser nada, mas continua lendo.

0 Comentários



Seja o primeiro a comentar!


Deixe uma Resposta


(obrigatório)


Nunca mais perca uma postagem. Informe o tipo de conteúdo que você deseja receber e ganhe um cupom de desconto para uma compra na metropolestore.com.

Fica tranquilo, não enviamos spam.