Sustentabilidade na Construção Civil

O assunto do momento tem sido a preservação do meio ambiente. Não tem como se executar nenhum projeto, seja ele na parte civil ou não, sem se pensar em alternativas para prejudicar menos o meio ambiente. Já que a todo o momento os meios de comunicação nos dão a ideia da devastação de nossas florestas, da poluição de nossas águas, da quantidade de lixo que é gerado a cada dia, da nossa fauna cada vez mais se extinguindo e de muitos outros abalos que estão ocorrendo na natureza de nosso País. As construções são dos fatores que mais acabam prejudicando e afetando o meio ambiente, pois muitas vezes são executadas em locais de reservas ambientes, mudando assim toda a ecologia da região. Porém, por outro lado, o conceito da sustentabilidade já está presente na maioria dos profissionais da área, que cada vez mais, procuram maneiras de ajudar nesta preservação, ou pelo menos, contribuir menos para a degradação. A principal maneira de se tornar uma construção sustentável começa se trabalhando o conceito de “planta verde”, ou seja, fazendo uma construção em que se reaproveite ao máximo possível os recursos naturais. Um bom exemplo seria o reuso das águas utilizadas na própria construção, ou ainda a instalação de painéis solares para a geração de energia, aproveitando o calor do sol, diminuindo assim o uso da energia artificial, a elétrica. O Mercado da Construção Civil está cada vez mais ligado ao conceito de sustentabilidade e para incentivar que as empresas cada vez mais se adéquem a essa nova maneira de trabalho criou o selo verde. O selo verde nada mais é do que um título que é dado às empresas que trabalham se preocupando com a sustentabilidade em suas obras, ou seja, as empresas politicamente corretas. Ter um selo verde, hoje, é muito importante, pois demonstra aos clientes o avanço e a preocupação com o meio ambiente. Aos poucos, o setor de construção civil está compreendendo que o valor de uma obra vai além dos acabamentos, tecnologias ou tamanho do imóvel.  As iniciativas de sustentabilidade também valorizam a obra. O apelo sustentável ainda está muito restrito ao marketing, sem implementações efetivas nos empreendimentos. A cobrança, por parte dos consumidores, é que obrigará cada vez mais a adoção de critérios mais rigorosos para construções sustentáveis. Muitos pensam que realizar uma obra sustentável é mais caro que uma comum. Mas, o preço dependerá do projeto ou da concepção. O correto planejamento e adequação à região onde a obra é realizada tornam a construção sustentável e com baixo investimento. Para utilizar corretamente os princípios da sustentabilidade, as empresas podem buscar orientações com as instituições que certificam a eficiência construtiva. Conheça alguns selos de certificação existentes:

Leed – Leadership in Energy and Environmental Design

Concebido e concedido pela ONG americana U.S. Green Building Council (USGBC), de acordo com os critérios de racionalização de recursos (energia e água, entre outros), o LEED fornece seis tipos de certificações: – New Construction (Prédios novos) – Existing Buildings (Prédios existentes) – Commercial Interiors (Interiores de edificações comerciais) – Core and Shell (Prédios de múltiplos usuários) – Neighborhood Development (Desenvolvimento urbano) Mais informações sobre a certificação no site www.gbcbrasil.org.br

Processo AQUA – Certificação de Construção Sustentável         

Concebido pela Fundação Vanzolini, o Processo Aqua certifica a alta qualidade ambiental do empreendimento. A empresa precisa atender os critérios de desempenho da Qualidade Ambiental do Edifício por meio do Sistema de Gestão do Empreendimento. O Processo AQUA é a adaptação para o Brasil da “Démarche HQE”, da França. Mais informações sobre a certificação podem ser obtidas no site www.vanzolini.org.br

PROCEL EDIFICA – Eficiência Energética em Edificações

Promove o uso racional da energia elétrica, com objetivo de incentivar a conservação e o uso eficiente dos recursos naturais (água, luz, ventilação, entre outros) nas edificações, reduzindo os desperdícios e os impactos sobre o meio ambiente. O programa Procel Edifica é coordenado pela Eletrobrás em parceria com o Ministério de Minas e Energia, Ministério das Cidades, Universidades UFPA, UFRN, UFAL, UFBA, UFMG, UnB, UFMS, UFMT, UFF, UFRJ, UFSC, UFRGS, UFPel, PUCPR, CAIXA, IBAM, IAB, CBIC, FGV, USAID/ICF, CEPEL, SEBRAE-RJ, CREA e ELETROSUL. Mais informações no site www.eletrobras.com

 


Sobre o Autor

Rodrigo Sampaio Pasquini
Rodrigo Sampaio Pasquini

Biólogo, Analista Ambiental e Diretor Ambiental do Instituto Consciência Verde


Fatal error: Uncaught Exception: 12: REST API is deprecated for versions v2.1 and higher (12) thrown in /home/metropolerevista/metropolerevista.com.br/html/wp-content/plugins/seo-facebook-comments/facebook/base_facebook.php on line 1273