Projeto mil árvores

A Cristófoli Biossegurança é uma das empresas do Paraná que tem levado a sério a questão da sustentabilidade. Por conta da sua atuação com o Projeto Mil Árvores – que está reflorestando áreas degradadas em Campo Mourão – recebeu em julho, em Curitiba, o selo Oito Jeitos de Mudar o Mundo, em uma cerimônia promovida pelo Serviço Social da Indústria (SESI).

O reconhecimento veio depois que o Projeto foi apresentado em uma mostra articulada pelo Sistema FIEP e o Movimento “Nós Podemos Paraná”, que destacou 15 projetos de várias cidades, que contribuem para os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), relacionados à educação, saúde, meio ambiente e qualidade de vida.

Os primeiros resultados são muito significativos. Sendo que na primeira etapa, foram retirados mais de 30 caminhões de entulhos clandestinos em uma área de 1.500 metros entre Campo Mourão e a comunidade de Alto Alegre, na entrada da microbacia do Rio do Campo. Na segunda etapa, 40 voluntários da Cristófoli Biossegurança e acadêmicos da Fecilcam coletaram os resíduos restantes que as máquinas não conseguiram recolher.

Na mesma oportunidade foi realizada uma ação educativa de plantio de árvores, instalação de placas de sinalização para conscientização e alerta da comunidade e câmeras de vídeo para fiscalização, em alguns pontos. O Projeto se desenvolve através de parcerias com Fecilcam, Sanepar, Prefeitura, IAP, Fundação Educere e Copel.

Apresentando o projeto à Revista Metrópole a diretora de Marketing da empresa, Jucy Angela Cristófoli, diz que inicialmente ele foi idealizado como forma de agregar e fazer convergir uma campanha de marketing à responsabilidade sócio-ambiental da empresa. “A pretensão era reflorestar um determinado número de árvores para cada equipamento vendido. No entanto, acompanhando e mapeando a área que ia ser reflorestada, observando o volume e diversidade de resíduos encontrados no local, ampliamos os objetivos, que para serem cumpridos, demandaram ações com vários voluntários e a educação da população, como estas que realizamos”, explica.

O projeto Mil Árvores é interdisciplinar e envolve também as escolas municipais e jovens da região, que recebem orientações acerca da importância de se preservar o meio ambiente e monitoramento das ações de preservação.

As próximas ações envolvem o plantio de mais árvores, incluindo mudas frutíferas e ainda o trabalho sócio-ambiental nas escolas, aplicado por estagiários e voluntários envolvidos no projeto, que através da interdisciplinaridade promoverão debates sobre meio ambiente, reflorestamento, manutenção de florestas, preservação e monitoramento através da Educação Ambiental.

O monitoramento do projeto será feito pelo professor do Departamento de Geografia da Fecilcam,  Doutor Jefferson de Queiroz Crispim e as ações devem se estender para a cidade de Iretama.

O projeto foi elaborado por  Jefferson de Queiroz Crispim (Depar- tamento de Geografia da Fecilcam), Donizeti da Silva (Sanepar), Jucy Angela Cristófoli e Felipe Duarte, com apoio do Instituto Brasil Solidário.


Sobre o Autor

Metrópole Revista
Metrópole Revista

Revista de variedades.

0 Comentários



Seja o primeiro a comentar!


Deixe uma Resposta


(obrigatório)


Nunca mais perca uma postagem. Informe o tipo de conteúdo que você deseja receber e ganhe um cupom de desconto para uma compra na metropolestore.com.

Fica tranquilo, não enviamos spam.