Comprometido com a sustentabilidade

 

Sempre procuramos desenvolver nossas ações utilizando os recursos naturais sem prejudicar as gerações futuras. É a premissa básica da sustentabilidade. Mas o que é preciso para que um empreendimento seja considerado sustentável? A resposta é simples e direta: ser ecologicamente correto, economicamente viável, socialmente justo e culturalmente diverso.

 

A persistência e a paixão do biólogo mourãoense Rodrigo Sampaio Pasquini pelo meio ambiente deram o tom ao compromisso de vida que ele assumiu: trabalhar em tempo integral em defesa da sustentabilidade e não apenas como defensor de uma bandeira. Graduado pela Faculdade Integrado de Campo Mourão, Pasquini trabalha há três anos numa das mais importantes empresas do sul do Brasil e compartilha com os leitores de Metrópole ideias e projetos de sustentabilidade que tem desenvolvido com sucesso na área da construção civil.

Morando em Balneário Camboriú-SC, cidade pela qual se apaixonou desde criança e para onde projetou sua carreira ainda na faculdade, Rodrigo atua como analista ambiental. Desenvolve projetos de gestão, de gerenciamento ambiental e sustentabilidade para empreendimentos e é diretor do Comitê de Sustentabilidade, que desenvolve estratégias e ações para área social, de educação e meio ambiente, nas empresas do Grupo Thá, no Paraná e em Santa Catarina.

Com uma mala na mão e muitas ideias na cabeça, Rodrigo terminou a faculdade em Campo Mourão e cinco dias depois já estava em Balneário Camboriú. “Eu estava lá, sem emprego, mas queria realizar o sonho de trabalhar com projetos que pudessem oferecer à cidade mais harmonia entre o ser humano e o meio ambiente. Na época, para me manter, trabalhei como promotor de vendas no Beto Carrero World. Mas, observava a cidade, linda, com muitos novos prédios a cada dia, sem o cuidado necessário com o meio ambiente. Identifiquei aí uma carência da construção civil local, que é o planejamento estratégico no gerenciamento ambiental dos prédios, dos condomínios, nos projetos e no paisagismo desses empreendimentos. Criei vários projetos, mas encontrei muita resistência, pois era um mercado extremamente fechado. Incorporadoras e construtoras não compreendiam a importância de investir em sustentabilidade”, justifica.

Entre tentativas frustradas com incorporadoras e encontrar alguém que tivesse os mesmos pensamentos que os seus, o biólogo deu aulas de Ciências em escolas locais, trabalhou com empresas como a Casa do Turista, em Porto Belo, Beto Carrero World, em Penha, Instituto da Família Schurmann, em Bombinhas e o Agecel, em Balneário Camboriú, mas ainda não era o que estava buscando para sua vida profissional.

Interesse recompensado

Como quem busca sempre alcança, Rodrigo acabou por encontrar seu caminho ao participar de uma audiência pública onde estavam envolvidas uma ONG local – que defendia manter uma determinada área da cidade do Balneário de Camboriú preservada como uma Unidade de Conservação de categoria Parque Estadual – e um projeto da Incorporadora Thá – que queria instituir no mesmo local uma Unidade de Conservação categoria Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN). “Logo que vi o projeto da empresa fiquei encantado, pois defendo com unhas e dentes a criação das RPPNs, como forma concreta e real de conservar áreas de preservação, ao invés da criação de parques estaduais, como garantia de uma administração eficiente. As RPPNs têm como benefício assegurado a prioridade na análise de projetos pelo Fundo Nacional do Meio Ambiente (FNMA). Também têm a possibilidade de cooperação com entidades privadas e públicas no intuito de sua proteção, gestão e manejo”, defende.

Ao sair da Câmara Municipal, após um acalorado debate, Rodrigo enviou email à Incorporadora, defendendo suas ideias e falando sobre projetos de sustentabilidade, marketing ambiental e até mesmo de criação de uma RPPN na área debatida na audiência pública, se colocando para colaborar com a empresa. Convicto de suas propostas, logo foi convocado para entrevista com o diretor da empresa, Alberto Veiga, que o levou para conhecer outro empreendimento do grupo, o Reserva Camboriú Yacht & Golf – para o qual recebeu a incumbência de desenvolver um projeto de Gerenciamento Ambiental em uma semana. “No prazo, apresentei o projeto, que foi aprovado. Contrataram-me, então, para desenvolver o Projeto de Gestão Ambiental e Sustentabilidade do Reserva Camboriú e dar assessoria ao projeto da RPPN de Taquarinhas”, conta.

Entusiasmado, Rodrigo fala do projeto inovador que ajudou a desenvolver para o empreendimento Reserva Camboriú Yacht & Golf, baseado nos conceitos de conservação do patrimônio natural e gestão ambiental. “Todo o empreendimento foi cuidadosamente pensado, buscando a integração ao ecossistema local e às características da biodiversidade do litoral catarinense. Além do aspecto ambiental, se diferencia pela presença de um campo de golfe e atracadouros exclusivos. Foram elaborados com a mesma visão sustentável, a fim de diminuir o impacto ao meio ambiente. O que resulta em uma valorização dos recursos hídricos, da fauna e flora atual, principalmente no que diz respeito ao paisagismo do campo de golf”, exemplifica.

Explica ainda que neste empreendimento modelo foram criadas ações sociais e ambientais, visando atingir todos os pilares da sustentabilidade, através de programa de hortas orgânicas, educação socioambiental, viveiro de mudas e para adoção de árvores. No local está ainda uma estação própria de tratamento de esgoto, que tratará os efluentes de todas as residências. “A área tem 551 mil metros quadrados de extensão, sendo que 70% da propriedade correspondem à Área de Preservação Permanente. Outros exemplos aplicados ao espaço são o foco na baixa densidade de ocupação, implantação de lixeiras ecológicas, programa biológico de gestão de pragas e de adubação do gramado do campo de golf, arborização e paisagismo com a utilização de espécies nativas e em extinção. Também desenvolvi um catálogo fotográfico de árvores nativas para seus moradores compreenderem a importância de plantar árvores nativas, favorecendo a biodiversidade do local. Todas as espécies de árvores nativas plantadas terão sua identificação registrada através de placas com nome cientifico e nome popular. Busquei espécies que florescem em diversas épocas do ano e árvores frutíferas que favorecem a presença de pássaros nas proximidades das casas e campo de golf, disponibilizando assim uma interação harmoniosa entre os moradores e as espécies da fauna e flora do local”, explica.

 Empresa de visão

Integrante do Comitê de Sustentabilidade da empresa, Rodrigo explica as ações que o maior grupo imobiliário do sul do Brasil está praticando para se tornar uma empresa socialmente sustentável. “As ações de sustentabilidade não se resumem apenas na implantação de projetos sociais e ambientais. Nossa estratégia de atuação é primeiro fazer com que nossos colaboradores tenham, de fato, uma consciência verde. Ao mesmo tempo em que trabalhamos para educar funcionários, colaboradores, fornecedores e parceiros, também queremos contribuir com a formação de consumidores mais conscientes, que valorizem o desenvolvimento de projetos de construções ecologicamente corretas” diz.

“Assim, no dia a dia das obras, está prevista a gestão de resíduos sólidos da construção. No canteiro de obras o material é separado em baias e lixeiras ecológicas, além de disporem diversas placas de conscientização. Também é realizado um estudo de vizinhança, onde avalia-se o impacto que a obra vai gerar no entorno, minimizando problemas como poeira e emissão de CO2. Por fim, é realizado um gerenciamento ambiental para que a obra não atrase e também para que o ambiente não sofra. É a sustentabilidade na prática: resolvendo problemas locais que podem alcançar resultados para todo o planeta”, ressalta.

“Temos, ainda, uma frente relacionada aos projetos dos empreendimentos, onde atuo nas obras para fiscalizar e acompanhar o andamento e verificar se não está ocorrendo nenhuma obstrução com a flora e a fauna do local. E outra, com projetos ambientais e educacionais realizados nas escolas, com palestras e monitorias, com temas relacionados à preservação ambiental da região, incluindo a implantação de pomares nas escolas”, finaliza.


Sobre o Autor

Rodrigo Sampaio Pasquini
Rodrigo Sampaio Pasquini

Biólogo, Analista Ambiental e Diretor Ambiental do Instituto Consciência Verde

4 Comentários


  1.  

    Nossa!!! Q orgulho!!! Tia coruja!!!




  2.  

    Uma trajetória de muitas batalhas sem duvidas. Seu sucesso será a garantia de uma vida melhor para as gerações futuras.




  3.  

    Pessoas raras, dessas que de verdade fazem a diferença.




  4.  
    Katia Cristina Nascimento Ferreira

    Hoje, dia do biólogo, deixo aqui os meus parabéns pela dedicação e seu esforço. Te desejo sucesso sempre!





Deixe uma Resposta


(obrigatório)


Nunca mais perca uma postagem. Informe o tipo de conteúdo que você deseja receber e ganhe um cupom de desconto para uma compra na metropolestore.com.

Fica tranquilo, não enviamos spam.