Etapas da reforma

2

Evite dores de cabeça ao renovar os ambientes

            É possível fazer a transformação dos ambientes com a escolha dos materiais corretos e organizando a instalação. Porém, as grandes reformas, por mais que sejam bem planejadas, sempre têm imprevistos e gastos extras. Na maioria das vezes reformar não é agradável e é necessário saber conter a ansiedade, para que não atrapalhe o processo.

Muitas vezes a contratação de um profissional da área se faz necessária. Vários podem ser os motivos: o profissional é quem irá planejar e executar a reforma; ele é quem possui o conhecimento sobre tendências e materiais; seu jogo de cintura e paciência são fundamentais para lidar com fornecedores e prestadores de serviço; age com coerência na elaboração de orçamentos, visando o custo/benefício; possui parcerias com empresas que garantem maior agilidade na execução da reforma e melhores descontos.

Mas há quem encare reformar por conta. Confira algumas dicas para garantir o sossego durante essa fase.

A reforma começa pelo projeto e sua palavra de ordem é Planejamento.

1ª etapa: Coloque no papel tudo que pretende fazer.

Dica: coloque tudo mesmo. É mais fácil escolher o que cortar do orçamento do que tentar encaixar algo que não foi previsto.

Exemplo: Ao reformar o quarto do casal, gostaria de:

    • trocar o piso;
    • usar papel de parede;
    • fazer móveis novos;
    • rebaixar o teto com gesso;
    • investir em efeitos de luz (compra de luminárias);
    • tapetes, cortinas e roupas de cama novas;

2ª etapa: Coloque agora tudo que tem disponível de dinheiro para isso. Exemplo: Salário, reserva, comissão, FGTS.

Dica: Lembre-se de que suas contas fixas e/ou mensais não irão parar durante a reforma. Cuidado para não comprometer sua liquidez.

3ª etapa:Consultar mão-de-obra. Pesquise pelo menos 3 profissionais/empresas e mostre a eles exatamente o que deverá ser feito. (Isso envolve desde a empresa que fará as cortinas até o azulejista que instalará o novo piso. Nesse caso, é sempre melhor fechar o preço do serviço por metro quadrado ou por serviço concluído.) Pergunte aos profissionais qual quantidade comprar dos materiais.

Dica: NUNCA negocie por dia trabalhado. Isso evitará mal estar para com os prestadores de serviços.

4ª etapa: Pesquisareforma - antes e depoisr preço dos produtos e materiais, para depois comprá-los.

Dica: Evite economizar demais nesse ponto. Pense que reforma não se faz todo dia e que, às vezes, o barato sai caro. Se for trocar o piso, por exemplo, analise se é para área interna ou externa, se precisará resistir a intempéries ou a grande fluxo de circulação, se somente pessoas pisarão ou se haverá passagem de carro, pegadas de cachorro, exposição à gordura (no caso de cozinhas e churrasqueiras), se precisará ser antiderrapante, se criará reflexos da luz do sol. Ao comprar os materiais, observe os juros embutidos.

Baseado no preço dos materiais, no valor da mão-de-obra e em tudo que deseja executar, calcule o que tem disponível para arcar com as despesas. Caso o valor não dê para realizar tudo, estabeleça prioridades: é sempre mais cômodo fazer o que pode se chamar de “mais grosso” primeiro (pinturas, gesso, piso, revestimentos), e ir complementando com os detalhes posteriormente. Mas estabeleça um prazo para que isso aconteça.

Dica: Não mexa em tudo de uma só vez, para não perder o fôlego antes do fim. Pode demorar mais, mas fazer um ambiente por vez é menos estressante.


Sobre o Autor

Raíssa Schebeleski
Raíssa Schebeleski

Designer de interiores residenciais, comerciais e paisagismo. Assessoria em acabamentos e decoração.


Fatal error: Uncaught Exception: 12: REST API is deprecated for versions v2.1 and higher (12) thrown in /home/metropolerevista/metropolerevista.com.br/html/wp-content/plugins/seo-facebook-comments/facebook/base_facebook.php on line 1273