Capitonê

1

Por volta do ano de 1840, surge na Inglaterra o Capitonê, técnica marcada por pregas e botões costurados no tecido, que ficou conhecida por valorizar o trabalho manual.

Imortalizado na criação do sofá Chesterfield, o Capitonado (como também é conhecido), foi resgatado pelo arquiteto modernista Mies Van der Rohe na Feira Internacional de Barcelona, com o lançamento da poltrona Barcelona, em 1929.

Na decoração, o Capitonê deixou de ser uma exclusividade das poltronas e sofás e passou a aparecer em diversas superfícies, como cabeceiras de cama, painéis de parede, almofadas, pufes, recamiers e bancos. Esse tom romântico que apresenta desenhos geométricos, como losangos e quadrados, é hoje empregado nos mais diferentes conceitos de projeto de interiores.

Conforme o tamanho da superfície revestida e o local empregado, é possível conseguir diferentes propostas para o espaço. O Capitonê aceita a aplicação de diferentes materiais, e isso o torna um item super versátil e democrático.

Para um ambiente mais clássico:

  • Use peças tradicionais de design;

Para um ambiente mais formal:

  • Use peças com tecidos mais marcados e imponentes, como couro, por exemplo;

Para um ambiente mais sofisticado:

  • Use peças com tecidos mais requintados. Tecidos que apresentam cintilância ou leve brilho são bem vindos, como seda e veludo, por exemplo;

Para um ambiente mais moderno:

  • Use peças multifuncionais, com tecidos despojados e inusitados;

Para um ambiente mais contemporâneo:

  • Use peças com cores mais alegres, para imprimir uma personalidade arrojada.

Dentro de sua técnica de confecção, o Capitonê pode ter a aplicação mais ou menos profunda da costura, além da técnica botonê, quando o botão é colocado de forma mais evidente. Esses botões podem ainda, ser em tonalidades diferentes ou, ao invés de ser encapados, podem ser de outros materiais, como metal, resina, plástico ou cristal.

O Capitonê vem sendo muito usado como revestimento, mas não só com tecido, como também em estampas holográficas de papéis de parede e em impressões HD ou relevo, encontradas em porcelanatos. Esses produtos podem ser usados, dentre outros lugares, em paredes de lavabo, painéis de cama ou de home e em cabeceiras de cama.

Apesar de ser bem marcante e revelador, de um estilo muito definido (o estilo clássico), o Capitonado é bem aceito quando há mistura de estilos. Quando bem projetada, essa mistura de elementos enriquece os ambientes e o Capitonê se insere conferindo sofisticação, elegância e luxo a eles, com espaço reservado desde os projetos mais requintados até os mais despojados de decoração.


Sobre o Autor

Raíssa Schebeleski
Raíssa Schebeleski

Designer de interiores residenciais, comerciais e paisagismo. Assessoria em acabamentos e decoração.


Fatal error: Uncaught Exception: 12: REST API is deprecated for versions v2.1 and higher (12) thrown in /home/metropolerevista/metropolerevista.com.br/html/wp-content/plugins/seo-facebook-comments/facebook/base_facebook.php on line 1273