Autismo: informe-se e surpreenda-se

0

O dia 2 de abril, é o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, data instituída pela ONU (Organização das Nações Unidas) desde 2008 com o objetivo de conscientizar a sociedade para que exista mais diagnóstico, mais tratamento e menos preconceito. Em Campo Mourão, a recém-criada Associação Amigos do Autista de Campo Mourão (AACM) está preparando diversas ações para mobilizar a sociedade nesta causa durante a semana de 5 a 11 de abril, que é a Semana Municipal de Conscientização do Transtorno do Espectro Autista, com o tema “Autismo: informe-se e surpreenda-se”.

A Associação Amigos do Autista de Campo Mourão conta com aproximadamente 30 pessoas .

Membro da Associação, Sandro Campos Soares, explica que AACM é formada por aproximadamente 30 pais de autistas diagnosticados (crianças e adultos). Professores, pedagogos, terapeutas-ocupacionais, psicólogos, fonoaudiólogos e fisioterapeutas já se juntaram à causa para ensinar, aprender e compartilhar. “Estamos apenas engatinhando, ainda cheios de dúvidas, mas com uma única convicção: melhorar a vida de nossos autistas”, destacou.

A partir de 1º de abril, os membros da AACM estarão incentivando os empresários de Campo Mourão a adotarem o azul nas vitrines e fachadas e a colarem os cartazes de esclarecimento sobre a síndrome. O azul foi a cor designada para o autismo pelo fato da síndrome ter uma prevalência bem maior em meninos que em meninas (a cada 4 meninos, uma menina). No dia 11 de abril será feita uma ação com panfletagem em diversos pontos da cidade, sempre com o objetivo de mostrar para os mourãoenses a existência dessas pessoas em seu meio e a necessidade de aceitação e da integração delas na comunidade. “A inclusão social e educacional é um direito da pessoa com transtorno do espectro do autismo que precisa ser defendido e respeitado”, comentou Sandro.

 

Mais de 2 milhões de autistas no Brasil

 

De acordo com o CDC (Center of Diseases Control and Prevention), do governo americano (o equivalente ao nosso Ministério da Saúde), os casos de autismo subiram para um em cada 68 crianças com oito anos de idade — o equivalente a 1,47%. Os dados são referentes a 2010 e foram divulgados em março de 2014. Houve aumento de quase 30% em relação aos dados anteriores, de 2008, em que apontava um caso a cada 88 crianças. E quase 60% para 2006, que era de um para 110.

Como não há uma prevalência maior de autismo em alguma região do planeta ou etnia em detrimento de outra, e seguindo dados estatísticos americanos, a Organização Mundial da Saúde estima que no Brasil existam mais de 2 milhões de autistas. Este número é maior do que o número de pessoas com AIDS, diabetes e câncer juntos. O autismo afeta, principalmente, três áreas do desenvolvimento humano: comunicação, socialização e comportamento. Ainda não se sabe a causa, nem há cura, apenas tratamento. “O único consenso mundial é que quanto antes de trata, melhores são as possibilidades de maior qualidade de vida”, diz Sandro. Segundo ele, mesmo o autismo podendo ser detectado, no geral, a partir dos 2 anos de idade, a maioria das crianças é diagnosticada após os 4 anos. “E a variedade de apresentações do autismo é tão grande que não se encontram duas pessoas autistas com as mesmas dificuldades e habilidades”, destaca.

11136743_1741753179384418_5007347423568934229_n

O documentário abaixo foi produzido pela jornalista Adriana Czelusniak, que é mãe do Gabriel, uma criança com autismo. Ela atua na causa em Curitiba e o filme é resultado de um curso de cinema que ela fez justamente para aprender uma nova forma de comunicar mais e melhor as pessoas sobre a doença. Confira:

 


Sobre o Autor

Liandra Cordeiro
Liandra Cordeiro


0 Comentários



Seja o primeiro a comentar!


Deixe uma Resposta


(obrigatório)


Nunca mais perca uma postagem. Informe o tipo de conteúdo que você deseja receber e ganhe um cupom de desconto para uma compra na metropolestore.com.

Fica tranquilo, não enviamos spam.