A dança como profissão

É muito comum a curiosidade das pessoas em relação a essa profissão, principalmente se você escolheu essa área para seguir carreira acadêmica. Perguntas do tipo: O que vocês fazem? Dançam o dia inteiro? São as que mais aparecem.

Bom, estudamos o corpo e suas relações com o mundo, seu desenvolvimento, sua estrutura física/anatômica, as possibilidades de movimento, a capacidade de criação, as ações enquanto professora na licenciatura, aprendemos ver arte e afinarmos o olhar para tudo ao nosso entorno. Através de trabalhos de consciência e percepção corporal, exploramos novos caminhos para um mover-se, somos instigados a escrever e falar sobre o corpo/dança/movimento, enfim, como em qualquer área de conhecimento, a dança também exige estudos em um entrecruzamento teórico/prático constante.

A dança como profissãoA dança é uma profissão! Pessoas interessadas nesta área buscam cada vez mais mecanismos para sobreviver dessa arte, seja dançando, dando aula, coreografando, pesquisando o corpo e o movimento, escrevendo livros, artigos, entre outros.

Muitas são as possibilidades de atuar no mercado de trabalho da Dança. Tem espaço tanto para aquele que vê essa arte como puro entretenimento, como para aquele que vai além e a enxerga como produção de conhecimento no mundo. Segundo Helena Katz, crítica de dança: “Existe espaço pra todo mundo só não existe espaço para a incoerência”.

Entender a dança não somente como produto artístico, mas também como área de produção de conhecimento, implica no reconhecimento de que ela é capaz de descrever e analisar seus próprios objetos. Mas o resultado produzido por qualquer área do conhecimento não está livre da ação do tempo. Tudo muda o tempo todo e é preciso estar atento para os novos olhares que a dança vem nos propondo/oferecendo.

Tamanho é o interesse da Dança como área de produção de conhecimento, que, cada vez mais, faculdades e universidades têm trabalhado em prol de incluir o curso de Dança em suas instituições.

Existem várias faculdades públicas e privadas de dança no Brasil. A UFBA, na Bahia, tem o curso mais antigo, com mais de 50 anos, e possui também Mestrado em Dança. No Rio de Janeiro temos a UFRJ, a UNIVERCIDADE e a FAV – Faculdade Angel Vianna. Em São Paulo, tem a Faculdade TIJUCUSSU, a PUC – SP, Universidade ANHEMBI MORUMBI e a UNICAMP, em Campinas. Em Minas Gerais, na UFV de Viçosa. No norte, tem na UEA, Universidade do Estado do Amazonas. No sul, na FAP, Faculdade de Artes do Paraná, na UERGS, Universidade Estadual do Rio Grande do sul e na ULBRA (RS).

A dança vem formando profissionais com bagagem para trabalhar com essa arte que oferece ao corpo/mente de todas as idades, trabalhos de coordenação, relaxamento, alongamento, força e consciência corporal; proporcionando momentos de descobertas, estimula a criatividade, traz encontros e é um momento de estar também compartilhando a vida com outras pessoas.

Fazer dança, seja qual for a modalidade, faz bem pra saúde de qualquer pessoa!
Experimente!


Sobre o Autor

Isabela Schwab
Isabela Schwab

Bailarina e professora de dança, Mestranda em Dança pela UFBA, Especialista em Estudos Contemporâneos em Dança pela UFBA, Graduada em Licenciatura e Bacharelado em Dança pela FAP, Certificada em Pilates Matwork pelo Demarkondes Pilates®/PhysicalMind Institute® de Nova York.

0 Comentários



Seja o primeiro a comentar!


Deixe uma Resposta


(obrigatório)


Nunca mais perca uma postagem. Informe o tipo de conteúdo que você deseja receber e ganhe um cupom de desconto para uma compra na metropolestore.com.

Fica tranquilo, não enviamos spam.